Dentista em Balneário Camboriú, SC: Rua 1101, nº 60, sala 131 - Whatsapp: (47) 988019840
(47) 33674822

Porque Cuidar da Gengiva?

Porque junto com a cárie, a doença da gengiva é a principal causa da perda dos dentes. A doença gengival se inicia de forma sorrateira, com sangramento, mau hálito, modifica a aparência do sorriso (aumentando o espaço entre os dentes) e atualmente, muitos cientistas tem relacionado-a com doenças cardiovasculares.

Em 1989 Mattila e colaboradores descreveram que a doença periodontal "pode" estar associada a infartação aguda do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC). Conseqüentemente, a doença periodontal deve ser tratada, pois ela predispõe a complicações infecciosas como: endocardites, bacteremias e problemas cardíacos.

Além de ter seu quadro modificado em pacientes portadores de febre reumática, diabetes, osteoporose, dentre outras enfermidades sistêmicas, ela pode levar a uma série de outros problemas de saúde, de infecções pulmonares a parto prematuro. Também pode prejudicar o controle do diabetes tipo 2, uma vez que as infecções levam a um aumento das taxas de açúcar no sangue. Esse enfoque atual é alvo de uma área específica da odontologia, a Medicina Periodontal. A "migração" das bactérias causadoras da periodontite da boca para o coração já era considerada como uma das possíveis causas da endocardite infecciosa bacteriana (uma infecção do forro das válvulas do coração). "Estudos mais recentes mostraram possível ligação, mesmo que indireta, com outros problemas cardiovasculares, como a arteriosclerose depósito de gordura nas artérias".

Substâncias liberadas no sangue a partir da inflamação poderiam estimular a produção de proteínas que facilitariam a adesão da gordura. As doenças periodontais podem também ser expressão de doenças sistêmicas, como a infecção pelo vírus da Aids ou pelo vírus HPV (o mesmo causador do câncer de colo do útero). O diabetes pode predispor o paciente ao problema periodontal. O tabagismo e o estresse são associados a algumas periodontites. Fumantes têm até quatro vezes mais chances de ter a doença periodontal.

Sem comentários.

Deixe seu comentário