Dentista em Balneário Camboriú, SC: Rua 1101, nº 60, sala 131 - Whatsapp: (47) 988019840
(47) 33674822

Saúde Bucal na Gravidez

A gravidez é o momento mais especial da vida de uma mulher - isto é fato. Mas, o que pouca gente sabe é que, durante a gestação, os cuidados com higiene bucal e os dentes são fundamentais. A visita ao dentista se torna essencial para o bem estar da mãe e do bebê. Se a gravidez for programada, a futura mãe deve passar por uma avaliação prévia para se informar quanto aos cuidados para se prevenir problemas durante a gestação.

Da mesma forma que o pré-natal médico é valorizado quanto aos cuidados da mãe e do bebê, essa abordagem deveria ter o mesmo peso com relação aos cuidados odontológicos. É incontestável sua importância para a gestante e para o bebê, aumentando as chances de uma melhor saúde bucal.

A maior dificuldade do pré-natal odontológico advém das crenças negativas que associam à gravidez e visitas ao cirurgião-dentista, sendo a principal causa o medo de que o tratamento odontológico possa ser perigoso ou prejudicial ao feto. Isto não é verdade, e é exatamente por estar grávida que a mulher precisa desses cuidados.

Mitos e Verdades

 Mitos  Verdades
 “Perder dente na gestação é uma ocorrência natural, já que nesta fase os dentes estragam com mais facilidade...”  A gravidez não é responsável pela perda de elementos dentários. Na maioria dessas ocorrências, o fator determinante está relacionado com a higiene bucal inadequada e hábitos alimentares prejudiciais.
  “Na gravidez há um aumento na incidência de cáries.”  A literatura mostra que a incidência de cáries em mulheres grávidas é a mesma que em mulheres não grávidas e o cuidados são os mesmos: escovação, uso do fio dental, visitas ao dentista, limpeza profissional e aplicações de flúor.
  “A mulher perde cálcio dos dentes para o bebê, na formação de estruturas mineralizadas (ossos, dentes).”  A gravidez não é responsável por essa perda Já está comprovado que os dentes não participam do metabolismo sistêmico do cálcio. O cálcio provém da sua alimentação e, quando esta for inadequada, virá de estruturas ósseas.
  “Na gravidez, o tratamento odontológico pode ser prejudicial à mãe e ao feto.”  Os riscos durante o tratamento odontológico são menores que os riscos que os problemas bucais podem causar à mãe e ao bebê. Antes de tudo, a gestante precisa ter saúde. O nível de saúde da mãe tem relação com a saúde bucal e geral do bebê.
 “Na gravidez o exame radiográfico pode prejudicar o feto.”  Estudos têm mostrado que, se for respeitado o uso do avental e colar de chumbo, a quantidade de radiação é tão insignificante que não permite qualquer tipo de mensuração. Portanto, se realmente necessário, o raio X pode ser realizado, preferencialmente no 2º e 3 º trimestre de gestação.
 “No tratamento odontológico da gestante não se deve utilizar anestésico local com vasoconstritor.”  É seguro realizar procedimentos odontológicos ob anestesia local em gestantes. Quanto ao uso do vasoconstritor ele pode ser indicado, a menos que a gestante apresente alguma contra-indicação individual. Dentro do protocolo podemos citar a lidocaína/mepivacaína com noradrenalina/epinefrina.

Quadro retirado da matéria no Jornal do Site

Saúde Bucal x Saúde do Bebê

O acompanhamento odontológico da gestante tem como objetivo manter ou resgatar sua saúde bucal. Modificações sistêmicas e da cavidade bucal durante o período gestacional devem ser esclarecidas e solucionadas, além de fornecer informações a respeito da saúde e desenvolvimento do seu bebê, como:

  • Mostrar a importância da dieta equilibrada para a saúde da gestante e desenvolvimento do bebê;
  • Mostrar a importância do controle de placa para uma boca saudável e orientar o uso adequado do flúor;
  • Informar que a ingestão de doces deve ser evitada;
  • A importância de se escovar os dentes toda vez que vomitar, para manter a saúde bucal neste período;
  • Mostrar a relação do hábito de vida com a saúde e conscientizar a respeito dos problemas bucais;
  • Desmistificar crenças negativas sobre a gravidez x tratamento odontológico;
  • Incluir informações a respeito do futuro bebê: Incentivar e explicar a importância da amamentação natural x artificial; época e alimentos no desmame, morfologia da cavidade bucal do bebê e importância dos dentes decíduos e do desenvolvimento dos músculos da deglutição na amamentação, higienização antes e depois da erupção dos primeiros dentes, meios de transmissibilidade das doenças bucais, conseqüências da sucção não-nutritiva (dedo, chupetas e mamadeiras) e o momento da primeira visita ao dentista.
  • Informar sobre os efeitos da drogas (cigarro, álcool e outras).

cuidados-com-a-boca-durante-a-gravidez

Cuidados e Tratamentos Durante a Gravidez

Pesquisas demonstram que, a maioria das mulheres grávidas apresentava algum problema bucal, como gengivite ou cárie. Isto devido a alterações no organismo feminino, que, quando associadas a algumas mudanças nos hábitos de vida, podem levar ao aparecimento ou agravamento de problemas dentários.

Hormônios

Os hormônios na gravidez alteram as fibras da gengiva facilitando o acesso de bactérias que provocam gengivite. Um dos sintomas mais comuns dessa doença é um sangramento intenso e espontâneo durante a escovação.

Vômitos

Comuns no primeiro trimestre, os vômitos deixam a boca mais ácida, o que pode prejudicar o esmalte dos dentes. Gestantes podem enjoar só de tocar a pasta de dente na língua e, com isso, negligenciam a higiene bucal. Para controlar isso, recomenda-se o uso mais freqüente do fio dental e menos de pasta e escova. Depois da indisposição, é necessário fazer bochechos com água ou colutórios bucais para promover a higienização.

Restauração dentária

A restauração dentária é outro procedimento que pode ser realizado durante a gestação, pois não utiliza nenhum produto prejudicial ao bebê. Se houver necessidade de outros tratamentos que exijam radiografias é bom lembrar que a quantidade de raios X emitidos por esses exames é muito pequena e dificilmente interferirá no feto; mesmo assim, esse procedimento só é indicado em casos estritamente necessários e para gestantes com mais de três meses de gravidez. Nada que uma boa escovação, uma dieta adequada e um bom acompanhamento odontológico não possam prevenir.

Anestésicos

Gestantes entre 3º. e 7º. mês, podem receber anestésicos locais sem nenhum problema, desde que não contenham substâncias vasoconstritoras.

Clareamento Dental

Em relação aos tratamentos estéticos, não há comprovação de que o laser ou substâncias usadas no clareamento dentário ou outras correções possam prejudicar o feto. Ainda assim, é recomendável adiar esses procedimentos.

Conclusão

Um cuidadoso tratamento dentário pode prevenir outros problemas na gestação, como o nascimento prematuro. Além de prevenir doenças bucais, a gestante deve manter um acompanhamento odontológico durante os nove meses de gestação. “Uma infecção na boca leva o corpo a produzir maior quantidade de prostaglandinas, substâncias que causam contrações no útero e podem antecipar o nascimento do bebê”, justifica Aléssio Calil Mathias, dentista da Clínica Gênesis.

Referências:

  • Saúde Bucal na Gravidez - Colgate
  • Jornal do Site
  • Saúde Bucal em Dia - Editora Abril
  • Cuidados com a Higiene Bucal durante a Gravidez - UOL
  • Costa ICC, Marcelino G, Berti-Guimarães M, Saliba NA. A gestante como agente multiplicador de saúde. RPG 1998;5(2):87-92.
  • Cury JA, Fernandes LMAG. Avaliação metabólica do flúor pré-natal. Rev Bras Med 1993;50(11):1548-54.
  • Konishi F, Abreu e Lima F. Odontologia intra-uterina. RBO 2002;59(5).
  • Vieira AR, Amorim MR, Orioli IM. Principais dúvidas das gestantes em relação à Odontologia. J Bras Odontopediatr Odontol Bebê 1999;2(5):32-6.

Sem comentários.

Deixe seu comentário